Hoshin Kanri ou Planejamento estratégico?

Gestão Manutenção de frota, criando um Plano Diretor para Gestão de Ativo
25 de maio de 2017
A mudança cultural do Lean IT
31 de maio de 2017

Hoshin Kanri ou Planejamento estratégico?

Hoshin Kanri (HK) (Ho –direção, shin – agulha, Kan – controle, ri – lógica/razão) é também conhecido como desdobramento das diretrizes. Embora não tenha relação direta com o Lean, compartilha a mesma origem (Japão na década de 50) e ferramentas comuns (A3, Kaizen, PDCA, Gemba).

O HK tem várias relações com o Planejamento Estratégico (PE). Sua finalidade primordial, de definir uma direção corporativa, é comum. Sua base (Missão, Visão, Princípios e Valores) também. Mas é um grande erro confundi-lo com o PE.  Alguns pontos que diferenciam o HK do PE são:

– Origem no cliente: no HK tudo começa no Gemba do cliente. O importante, no início, é entender os problemas do cliente e como nossa empresa pode ajudá-lo. Sabe-se que escutar o cliente não é simples, porque ele diz que quer mais de tudo, mas nem sempre está realmente interessado no que fala. É importante entender o que o cliente realmente usa, e uma boa estratégia pode ser ver sobre o que o cliente reclama. Além disso é importante ver que muitas vezes o cliente não consegue pensar “fora da caixa”, sendo que nosso foco deve ser entender qual a necessidade dele e não necessariamente a solução sugerida.

– Pragmático: o objetivo não é listar coisas que a empresa quer fazer, mas sim coisas palpáveis, objetivos realizáveis agora. Uma vez levantados no Gemba do cliente, os objetivos do HK devem ser listados como desafios de melhoria, normalmente associadas a qualidade, segurança, flexibilidade ou produtividade;

– Visual: o acompanhamento do HK é feito de forma visual no Gemba. Tudo é acompanhado no próprio Gemba, em pontos de controle, que usam uma linguagem adequada para o nível da organização onde ele está. Isso serve não apenas para acompanhar o progresso, como para compartilhar com todos o que está se tentando fazer;

– PDCA: o que se desdobra não são “metas”, mas sim melhorias. As equipes não devem executar planos de ação desdobrados que somados atingem uma meta, como no PE. No HK, entende-se que as melhorias são complexas e é necessário aprender, aos poucos, a identificar as fraquezas e as melhores formas de resolver os problemas. Todos devem fazer as melhorias com bases em PDCAs bem feitos, acompanhados em A3, desenvolvidos com cuidado e atenção, com o aprendizado compartilhado em quadros PDCA.

Escrito por: Marcos Borges

Leia também:

Lean IT se faz no gemba

Escopo do projeto x escopo do produto

Fontes

Lean.org.br: Diferenças entre Hoshin e o Planejamento estratégico

Lean.org.br: Hoshin Kanri – Desdobrando a estratégia em sua organização